O que é BPM

O que é BPM e como pode ser aplicado em sua empresa

A sigla BPM, do inglês Business Process Management que em tradução livre é Gerenciamento dos Processos de Negócio se refere à uma cultura exercida nas empresas.

De forma mais clara, BPM é uma disciplina organizacional que tem por objetivo final à transformação da empresa nos cinco pilares principais: o colaborador, o cliente, a competição, os dados e o valor do produto/serviço.

Portanto, a implementação dessa disciplina organizacional e gerencial aprimora diversos elementos estruturais, funcionais e relacionais das empresas, podemos destacar: 

  • Transparência dos dados,
  • Processo comunicacional entre os times e os responsáveis pelas tarefas,
  • Aumento de produtividade,
  • Suporte à tomada de decisões estratégicas,
  • Automação dos processos e construção do workflow,
  • Entre outros elementos.

Para se iniciar essa disciplina realiza-se o: mapeamento dos processos, por consequência, a sua organização e  legitimação, a análise destes e, por fim, o aperfeiçoamento dos processos.

transformação digital contribui para o desenvolvimento da disciplina de BPM, pois permitiu que muitos processos, antigamente analógicos, fossem adaptados ao mundo digital o que resultou em um crescimento escalável das empresas adeptas à essa processo de gerenciamento.

Neste artigo apresentaremos a sequência de atividades necessárias para se iniciar essa disciplina e os benefícios decorrentes desta cultura em sua empresa.

Banner para download do pdf sobre BPM
Powered by Rock Convert

Sequência de atividades:

1 – Mapeamento de processos BPM

Para empresas que desejam iniciar uma disciplina de BPM deve-se começar pelo mapeamento de processos. Essa atividade garante a efetividade da cultura que será implementada e assegura o reconhecimento de todas as variáveis dos processos estratégicos e fundamentais.

No blog do Protarefa, eles falaram sobre mapeamento de processos, confere lá!

2- A formalização ou padronização dos processos 

Formalização é um termo muito interessante quando se trata de processos empresariais, não é mesmo? Ainda mais quando esse termo vem acompanhado de excelência produtiva e otimização operacional.

É exatamente isso que se busca após a realização de um mapeamento de processos com efetividade e assertividade.

O que é a formalização dos processos?

Formalização dos processos, ou padronização dos processos, é esquematização das tarefas mapeadas anteriormente, que resultou em uma sequência de atividades à serem desenvolvidas.

Portanto, construiu-se um modelo à ser seguido. Esse método deve ser claro e objetivo para os colaboradores que irão executá-lo.

Os principais objetivos da formalização de processos são:

  • Construir um modelo sequencial das atividades,
  • Definir as atividades à serem executadas com clareza,
  • Conferir repetibilidade e escalabilidade ao processo.

3 – Análise e adaptação do processo

Como levantado no mapeamento, deve existir um responsável pelo processo e por analisá-lo constantemente. Esse diagnóstico contribui para garantir que o fluxo de tarefas atende às expectativas instauradas e se os resultados estão condizentes.

Não se engane, metrificar não é a única forma de analisar os processos, estude os erros que, com certeza, irão surgir, analise o ambiente externo e as condições estruturais da empresa, converse com os seus colaboradores, afinal, eles realizam grande parte do fluxo de tarefas. Para isso, construa um ambiente propício ao diálogo e baseie suas decisões estratégicas com mais assertividade.

Por fim, todos os processos terão que ser modificados em algum momento e essa adaptação contribui positivamente para a organização, pois aumenta a produtividade, reduz custos e riscos e alinha as expectativas.

Benefícios da disciplina de BPM

1 – Automação de processos 

Como já destacamos anteriormente, processos repetitivos devem ser automatizados para aumentar a produtividade, nesse aspecto, softwares e sistemas integrados são fundamentais para contribuir positivamente em sua empresa.

2 – Retorno imediato e tangível

Primeiramente, a automação dos processos decorrente da disciplina de BPM aumenta a produtividade de forma exponencial e esse fator pode ser verificado em pouco tempo.

Além disso, como os processos são metrificados e alinhados ao planejamento estratégico os resultados são apresentados de forma clara e precisa.

Por fim, por automatizar os processos, especialmente os repetitivos, a empresa torna-se mais produtiva, agilizando tarefas e diminuindo o tempo de entrega, atribuindo valor do produto ao cliente.

3- Criptografia e segurança da informação

Vivemos em um era que as tecnologias digitais evoluem constantemente, nesse aspecto, a criptografia de dados atingiu um nível de excelência que seus dados armazenados em um software de automação de processos estarão mais protegidos do que nunca!

Conclusão

A disciplina de BPM é uma cultura de gerenciamento dos processos que nasceu alinhadas às transformações tecnológicas e que transforma a realidade das empresas que decidem iniciar esse projeto de melhoria interna e otimização da entrega de valor ao cliente. 

Como toda disciplina, o BPM exige uma dedicação que deve ser colaborativa, para gerar impacto positivo na organização, por isso, antes de iniciá-lo, converse com os seus colaboradores, envolva-os no projeto, destaque a importância do comprometimento e da participação individual

Essa matéria foi publicada pela startup Protarefa, que compõe o portfólio da FCJ Bauru, pela primeira vez em: O que é BPM e como pode ser aplicado em sua empresa

Outras novidades

FCJ Bauru seleciona duas novas startups para o seu portfólio

FCJ Bauru seleciona duas novas startups para o seu portfólio

FCJ Bauru seleciona duas novas startups para o portfólio: Madalu Até Você e Langue

O que é BPM e como pode ser aplicado em sua empresa

O que é BPM e como pode ser aplicado em sua empresa

A sigla BPM, do inglês Business Process Management que em tradução livre é Gerenciamento dos Processos

O que é melhor para a sua startup: smart money ou money with purpose?

O que é melhor para a sua startup: smart money ou money with purpose?

Justino e Wilson, CEOs e Founders da FCJ e da 2.5 Ventures respectivamente, analisam o

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *